Só Poesias e outros itens....

  • Anexando Territórios e possibilidades expressivas

Translate

Seguidores

12 de jan de 2009

Ano Nove

Ano Nove

Agora vou deter-me e ficar inteiramente alerta. Se esvaziar de mim mesma e esperar, ouvindo os rumores de um novo ano. Dessas coisas que criamos no fluxo e refluxo das coisas novas.
Nada mais há que fazer com aquelas coisas velhas de que não precisamos, desfazer é um ato de coragem. Ter o empenho dessa sensação do porvir, com o ato de respirar e renovar.... numa espécie de laboratório metafísico de mudanças. O ar se expande, multiplicam-se as vontades, e como todos, especializamo-nos em mil promessas.
E, como todos os inícios : imaginar, conceber, cismar, meditar, pensar e sonhar, dado nossas equações empíricas sobre o tempo, tanto quanto deglutimos, digerimos e assimilamos desta história que vivemos em tantos ensaios, convertendo toda sensação numa outra sensação, o que nos torna humanos e criativos, nesta infinita capacidade de abstrair do mundo o nosso sentido real de ser.

E, se relativo são os fatos, ficarei com a tendência de lançar sobre a realidade o equivalente poético da formúla E= mc (2) de Einstein, emitida na velocidade da luz, com a possibilidade de alimentar meus dias como toda energia ( sem muitos desperdícios) e com a sabedoria necessária para corrigir meus erros ( sem tantas gravidades). E ter menos pressa sobre as minhas coisas, já que o tempo é mesmo o tempo, onde tudo passa.
Meu outro grande desejo é conhecer a sutileza do silêncio, ou pelo menos eliminar os ruídos que não me dizem nada, e me agarrar de volta as minhas intuições primeiras.
Não sei se disso tudo, sobre o que desejo para este ano, mas vagamente sinto que sempre faltará algo, e prefiro seguir adiante, como quem ainda não conhece a estrada, e onde só posso começar a entender o quanto de prazer me reserva em viver o sol deste ano novo, leve como uma pluma.
~~~~
texto e aquarela s/colagem: JU Gioli

10 comentários:

Jorge C. Reis disse...

Ju
O teu blog está cada mais melhor. Adoro

Eduardo P.L disse...

Jugioli,

bom texto. Leve como uma pluma!

sonia a. mascaro disse...

Lindo texto!
Feliz 2009!

sonia a. mascaro disse...

Ju, ficou mesmo linda a pluma, não percebi que era escaneada. Não tenho feito mais experiência com o scanner. Qualquer dia vou tentar novamente.

Também estou com saudades de você!
Beijos!

expressodalinha disse...

Muitos votos para um ano tão éfemero e complicado. Espero que se concretizem. Senão fica a vontade que já é muito.

**** disse...

olá... gostei de seu blog

semsugestaodenomes.blogspot.com

Alice Salles disse...

A vontade transforma e o som das palavras ao vento incomoda quem não quer aprender... Lindissimo!

jacker disse...

mulberry purse
mulberry purses
discount mulberry
chloe bag
chloe paddington

Gilia GerlinG disse...

Texto maravilhoso. Tanto quanto a "sutileza do silêncio."
Aplausos e emoção!
Gilia

milka santos disse...

Adorei seu texto.
Lindo. Parabéns.

Translate this page

Poesia Virtual

Poema ao acaso

Tertúlias Virtuais

Tertúlias Virtuais
Inscreva-se e participe - todo dia 15 um novo tema

Clique e Participe

Clique e Participe
2 de setembro: Tema Ecologia

@

@
Territórios Anexados : @

Selo-comments

Selo-comments

As escritas

As escritas

As geometrias

As geometrias

As artérias

As artérias

Prêmio 2008 - concedido por Varal de Idéias

Prêmio de novembro 2007

Prêmio de novembro 2007
concedido por Vi Leardi

Prêmio junho 2007

Prêmio  junho 2007

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"
junho 2007

Premiação de Primavera 2007

Premiação de Primavera 2007
Concedido por Varal de Idéias e le Jardin Éphémère

Presente de Vi Leardi 2007

Presente de Vi Leardi  2007

Olhares

free web counter