Só Poesias e outros itens....

  • Anexando Territórios e possibilidades expressivas

Translate

Seguidores

12 de set de 2008

Os espelhos

Os espelhos

O que é um espelho? Não existe a palavra espelho – só espelhos, pois um único é uma infinidade de espelhos. Em algum lugar do mundo deve haver uma mina de espelhos?
Não são preciso muitos para se ter a mina faiscante e sonambúlica: bastam dois, e um reflete o reflexo do eu o outro refletiu, num tremor que se transmite em mensagem intensa e insistente ad infinitum, liquidez em que se pode mergulhar a mão fascinada e retira-la escorrendo de reflexos, os reflexos dessa dura água.
O espelho é o espaço mais fundo que existe – É coisa mágica: quem tem um pedaço quebrado já poderia ir com ele meditar no deserto. De onde também voltará no vazio, iluminado e translúcido – e com o mesmo silêncio vibrante de um espelho.

Quem olha um espelho conseguindo ao mesmo tempo isenção de si mesmo, quem consegue vê-lo sem se ver, quem entende que a sua profundidade é ele ser vazio, quem caminha para dentro de seu espaço transparente sem deixar nele o vestígio da própria imagem – então percebeu o seu mistério.”

Clarice Lispector < “Para não esquecer” (Rio de Janeiro, 1999, p-12-13) Texto modificado e resumido.
~~~~

10 comentários:

sonia a. mascaro disse...

Clarice Lispector é sempre uma vertigem...

Bela imagem que você escolheu, JU!
Bjs.

Eduardo P L disse...

REFLEXOS espelham espelhos!
ESPELHOS com reflexos !
Espelhos+espelhos= infinitos reflexos!Refletem espelhos!

Gaspar de Jesus disse...

JU, entendi a Mensagem e adorei a Foto...!
Ah, e a Música...
Perfeito.
Bjs
Gaspar de Jesus

josé louro disse...

Magníficas as aguarelas.

Só- Poesias e outros itens disse...

Sonia, concordo... sempre uma boa e misteriosa vertigem.
obrigado pelo comentário.

bjs.

Ju gioli

Só- Poesias e outros itens disse...

Eduardo,
ad infinitum
espelhos.

Gaspar,
sempre bem vindo as suas sensíveis
opiniões.

Jose,
aquarelas são sempre um fazer e refazer...

obrigado à todos pelos comentários

bjs.

JU Gioli

expressodalinha disse...

Há dias em que queria ser espelho, entrar na minha imagem, ser espelho de mim mesmo, ver o infinito do outro lado...
Boas imagens. Texto excelente. Um descanso.Bom fim de semana.

Maria Augusta disse...

Os espelhos são sempre fascinantes, a imagem e o texto da Clarice Lispector são maravilhosos. E a música também, é deliciosa...é sempre um grande prazer passar por aqui.
Beijos e um bom fim de semana.

disse...

Querida te deixo aqui,um poema que em determinado momento da vida ...diz tanto...

Silvia Plath... The Mirror

I am silver and exact. I have no preconceptions.
Whatever I see I swallow immediately
Just as it is, unmisted by love or dislike.
I am not cruel, just truthful -
The eye of a little god, four cournered.
Most of the time I meditate on the opposite wall.
It is pink, with speckles. I have looked at it so long
I think it is a part of my heart. But it flickers.
Faces and darkness separate us over and over.

Now I am a lake. A woman bends over me,
Searching my reaches for what she really is.
Then she turns to those liars, the candles or the moon.
I see her back, and reflect it faithfully.
She rewards me with tears and an agitation of hands
I am important to her. She comes and goes.
Each morning it is her face that replaces the darkness.
In me she has drowned a young girl, and in me an old woman
Rises toward her day after day, like a terrible fish.


Espelho

Sou prateado e exato. Não tenho preconceitos.
Tudo o que vejo engulo imediatamente
Do jeito que for, desembaçado de amor ou aversão.
Não sou cruel, apenas verdadeiro -
O olho de um pequeno deus, de quatro cantos.
Na maior parte do tempo medito sobre a parede em frente.
Ela é rosa, pontilhada. Já olhei para ela tanto tempo,
Eu acho que ela é parte do meu coração. Mas ela oscila.
Rostos e escuridão nos separam toda hora.

Agora sou um lago. Uma mulher se dobra sobre mim,
Buscando na minha superfície o que ela realmente é.
Então ela se vira para aquelas mentirosas, as velas ou a lua.
Vejo suas costas, e as reflito fielmente.
Ela me recompensa com lágrimas e um agitar das mãos.
Sou importante para ela. Ela vem e vai.
A cada manhã é o seu rosto que substitui a escuridão.
Em mim ela afogou uma menina, e em mim uma velha
Se ergue em direção a ela dia após dia, como um peixe terrível.

translated by André Cardoso


beijos...

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta, gosto deste temas sobre Espelhos. A arte e a literaturas ,nos trazem essas indagações sobre esse objeto misterioso e sutil.
Obrigado pelo comentário.

Expresso, qual espelho refletiria exatamente o que somos???

vamos procurando, não é mesmo.

Vi, lindo esse poema da Silvia Plath, somando-se a esse misterioso espelho, as infinitas possibilidades de reflexos.

Obrigada

JU Gioli

Translate this page

Poesia Virtual

Poema ao acaso

Tertúlias Virtuais

Tertúlias Virtuais
Inscreva-se e participe - todo dia 15 um novo tema

Clique e Participe

Clique e Participe
2 de setembro: Tema Ecologia

@

@
Territórios Anexados : @

Selo-comments

Selo-comments

As escritas

As escritas

As geometrias

As geometrias

As artérias

As artérias

Prêmio 2008 - concedido por Varal de Idéias

Prêmio de novembro 2007

Prêmio de novembro 2007
concedido por Vi Leardi

Prêmio junho 2007

Prêmio  junho 2007

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"
junho 2007

Premiação de Primavera 2007

Premiação de Primavera 2007
Concedido por Varal de Idéias e le Jardin Éphémère

Presente de Vi Leardi 2007

Presente de Vi Leardi  2007

Olhares

free web counter