Só Poesias e outros itens....

  • Anexando Territórios e possibilidades expressivas

Translate

Seguidores

17 de dez de 2007

Crônicas de Natal




Anda tudo doido! As pessoas parecem ventoínhas, parecem abelhas, beija-flores, esvoaçando em redor das montras, entrando nas lojas e tocando a mercadoria com dedinhos gulosos, sonhadores. As pessoas andam numa lufa-lufa de deixar os ajudantes do Pai Natal em estado de medo pânico. As pessoas querem, elas desejam, elas almejam tudo o que vêem e o que não sabem ainda que desejam mas, decerto, irão desejar ainda. O mais tardar amanhã vão desejá-lo. E compram e embrulham a compra para mais tarde a oferecerem a alguém que a desembrulhe. Anda tudo doido. Consumindo, consumindo, consumindo. Consome-se a vida como se fosse fumada. Como se fosse um charuto cubano na boca do Pai Natal, a sorvê-la de uma vezada com aqueles pulmões poderosos de tanto fazer Oh-oh-oh. O mundo roda mais rápido nestes dias. Deve ser isso que põe tudo doido. E como estamos doidos andamos mais depressa e o mundo mais rápido. E ficamos tontos e andamos mais depressa... quando tudo terminar vamos perceber que nada disto adiantou grande coisa. Que a nossa vida não mudou com aquilo que saiu do embrulho. Que aquilo que saiu do embrulho é, afinal, muito diferente daquilo que imaginamos que lá tínhamos enfiado.
Espero que, como de costume, as pessoas estejam um pouco mais felizes no dia dos embrulhos do que o costume nos outros dias. É para isso que serve esta merdice toda. Esta tontice, esta sofreguidão, este consumismo desalmado, tudo isto é apenas vontade de amar e ser amado. Só mais um bocadinho, por uma vez que seja.
Feliz Natal pessoal!

Silvares do blog : 100 cabeças

5 comentários:

Maria Augusta disse...

Este texto acertou em cheio, toda esta sofreguidão, este consumismo, é a forma no mundo atual de dar e receber amor...pena que é função da conta bancária de cada um, o que não é muito cristão!
Um beijo, Jugioli.

Só- Poesias e outros itens disse...

Maria Augusta,
adorei o seu comentário, e quando li este texto, ele me revelou um lado que esquecemos de ter junto com o natal, e desta forma repensar o que fazemos além das aparências.

bjs.

Ju gioli

addiragram disse...

Perde-se, dia a dia, o saber dizer por gestos simples e únicos! Mas todos precisamos de O saber...
Um abraço grande para ti.

Eduardo P.L. disse...

O Silvares tem um texto delicioso, e certeiro como um raio!

Bjs

Só- Poesias e outros itens disse...

Eduardo,
concordo, são ótimas reflexões.

bjs.

Ju gioli

Translate this page

Poesia Virtual

Poema ao acaso

Tertúlias Virtuais

Tertúlias Virtuais
Inscreva-se e participe - todo dia 15 um novo tema

Clique e Participe

Clique e Participe
2 de setembro: Tema Ecologia

@

@
Territórios Anexados : @

Selo-comments

Selo-comments

As escritas

As escritas

As geometrias

As geometrias

As artérias

As artérias

Prêmio 2008 - concedido por Varal de Idéias

Prêmio de novembro 2007

Prêmio de novembro 2007
concedido por Vi Leardi

Prêmio junho 2007

Prêmio  junho 2007

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"
junho 2007

Premiação de Primavera 2007

Premiação de Primavera 2007
Concedido por Varal de Idéias e le Jardin Éphémère

Presente de Vi Leardi 2007

Presente de Vi Leardi  2007

Olhares

free web counter