Só Poesias e outros itens....

  • Anexando Territórios e possibilidades expressivas

Translate

Seguidores

30 de nov de 2007

As escritas

grafite s/papel : Jugioli
.

As escritas

a href+ index
a<> br<> a
<>

29 de nov de 2007

A arte de " ser" dos blogs



A arte de ser um blog




O mérito dos blogues são o de fornecerem informações. Quanto a instrução ou aprofundamento é um outro lado que merece ser investigado.


O mérito das informações virtuais, ao meu ver, estão baseados no fato de terem impacto imediato, fácil acesso sobre tudo, sobre todas as bibliotecas, design, artes, músicas, fotos, sobre o resumo de resenhas e o conjunto de todos os livros.
Eu, especialmente, procuro e mantenho uma lista dos sites sobre os assuntos do meu interesse, e tenho tido boas dicas.
Há fluxos e afluxos de todos os tipos, e convenhamos, facilita a busca, e há outros com a necessidade de serem filtrados com cuidado.
Há estilos de blogs com coletâneas extremamente desnecessários, definíveis como supérfluos e caóticos, quase sempre sem aprofundamento. Há blogs que negam suas fontes e os créditos necessários, e assim há de tudo. E nada é obrigatório, e tudo pode ter rumos diversos.
Gosto de blogs que elaboram suas próprias idéias, e criam o seu espaço. Compartilham, e elevam a rede neste intercâmbio.



Blogs são esta forma nova e atual de mostrar idéias (
Varal de idéais), ou de interagir como poesia e imagens (Linha de cabotagem), ou música e poemas (Un-dress), onde a sensibilidade e sensualidade imperam, ou apenas de fotos ,onde o silêncio é capturado com um olhar de ângulos inesperados (Uma foto por dia) , e de outros que atualizam discursos filósoficos sobre o contrário (O contrário é a mesma coisa), onde o tema da beleza e arte fazem parte de um desing aprimorado por jóias ( Vi-Leardi), onde viagens são relatadas, sem entrarem no aspecto intimista, mas com curiosidade e admiração ( Le Jardin Éphémère), e assim criam um universo de tramas e correspondências, onde vamos circulando e acrescentando outros.





Eu, comecei a pensar num blog como forma de organizar meus cadernos de anotações, como os eventos que participo, das notas de um discurso, ou frases do jornal, das leituras que surpreendem, dos trabalhos que faço. E me ocupo dele quando preciso “organizar a minha estante”, das coisas que escrevo, das idas ao museu, dos poemas que gosto, das frases que escolhi e que considero como “memória”, e nada mais agradável que ler um poema e associá-lo a uma imagem, coisas que no computador se faz em segundos.

Escrevo para citar minha necessidade de concentrar em poucas linhas o que eu gosto em blogs, destes que sejam, desta forma: inteligentes, reveladores e possibilitem reflexão, e que venham a comentar o que escrevi como forma de troca. Onde encontro uma viagem, e como disse Saramago: " Viajar é isto, deslocar-se para um lugar onde possamos descobrir que há, em nós, algo que não conhecíamos até então".





.Estas palavras são para agradecer ao prêmio que o blog : Linha de cabotagem me ofereceu, retribuindo aos outros blogs que acessam diariamente o meu blog. E, como toda escolha é seletiva :

Descubra os seus... e deixe seus comentários.



.


.


20 de nov de 2007

Poema

(...)
... O meu viver escuta
A
Frase que de coisa em
coisa
silabada
Grava no espaço e no tempo
a sua escrita..
.
.citação: Sofia de Mello
Breyner Andresen
desenho s/papel: Jugioli

18 de nov de 2007

Elogio da Sombra

"O Belo não é uma substância
em si,
mas apenas um desenho de
sombras"
.
citação: Junichiro Tanizaki in
(o elogio da sombra)
foto e colagem: Jugioli

16 de nov de 2007

Movimentos...

"Perfeito é não quebrar a imaginária linha..."
citação: Sophia de Mello Breyner Andressen.
grafite s/papel: Jugioli

15 de nov de 2007

A...

A
AH !
AH ?
A ...
Todas as palavrAs
OndulAm
de possibilidades
A matriz
A matéria
Os Acasos
gesticulando:
As EscritAs.
Na densidade
dos Espantos,
A oitava cromática
de uma
luminosa geogrAfia
.
colagem e poema: Jugioli

14 de nov de 2007

Un_dress

Poema
.
"Passagens de sombras com lua"
De Sylvia Plath e Pink Floyd
.
.
fotocolagem:jugioli
foto: Maria Flores

13 de nov de 2007

As escritas

Arte poética
.
"A poesia não me pede propriamente uma especialização, pois a sua arte é uma arte do ser.
Também não é tempo ou trabalho o que a poesia me pede. Nem me pede uma ciência
nem uma estética, nem uma teoria.
Pede-me antes a inteireza do meu ser, uma consciência mais funda do
que a minha inteligência, uma fidelidade mais pura do que
aquela que eu posso controlar.
Pede-me uma intransigência sem lacuna.
Pede-me que arranque da minha vida que se quebra, gasta,
corrompe e dilui como uma
túnica sem costura.
Pede-me que viva atenta como uma antena, pede-me que
viva sempre, que nunca me esqueça.
Pede-me uma obstinação sem tréguas,
densa e compacta.
Pois a poesia é a minha explicação com o
universo, a minha convivência com as coisas,
a minha participação no real, o meu
encontro com as
vozes e as imagens."
.
citação: Sofia de Mello Breyner Andresen
in: Geografia, Lisboa, Salamandra,1990;
fotomontagem: Jugioli

9 de nov de 2007

As letras

_________
____ _____
____ ______
______ ___________
_______ ________
_________________
Retorno
o ponto de transição
.

2 de nov de 2007

As artérias

acrílico s/tela: jugioli
colagem s/ mural
.......

1 de nov de 2007

Bibliodyssey


bibliodyssey

Azul Cerúleo Para uma mar – nas Insensatas ondas contra o sol – procurando pérolas na neblina – pontos de letras onde germinam os verbos – como a palavra mais belaOctopussy - ofício diário provisório e permanente – Cultivar os estados imateriais da música na alma – sobrar tempo para entender de matemática – anexando territórios hiperbólicos além do ponto e da reta - ficar onde a álgebra é abstrata – olhar esculturas cinéticas de Calder – sopro nos móbiles instáveis – modulando tempo entremeados pelos desvios dos olhos – onde somos nuvens – roda redentora – sinfonia esférica – fractais – dos efeitos borboletas e variações musicais – ondas e ondas nas palavra – toda aparência se desfaz nos espelhos- os substratos dos dias que a linha costura de infinitos pontos – e os planos de um número infinito de linhas – o instante revelador das incertezas objetivas – intensamente vividas - na mais fervorosa interioridade – onde mora a verdade ???? – sempre o infinito e seus axiomas – tudo se soma +++++ – as Leituras – os encontros – as amizades – os amores – as viagens – os prazeres- os medos – as crenças – as tristezas – as indignações – e tecendo ressonâncias pelas margens do rio – este que nunca é o mesmo- Superfícies e profundidadessomos mescla deste ofício diário - os rastros os indícios – a escarpa da memória – das coisas sensíveis a ação – sempre Amnióticos na gestação – e no mínimo léxico – o decodificador de nexus, plexus, fluxus, restos, sexus. Cada pensamento oculto e silente – ser natural nas verdades – inquisidor nas mentiras- se a revolta é uma obrigação do homem sensível – a vida líquida como gota d’água ondulando sempre na vidraça.

jugioli

Translate this page

Poesia Virtual

Poema ao acaso

Tertúlias Virtuais

Tertúlias Virtuais
Inscreva-se e participe - todo dia 15 um novo tema

Clique e Participe

Clique e Participe
2 de setembro: Tema Ecologia

@

@
Territórios Anexados : @

Selo-comments

Selo-comments

As escritas

As escritas

As geometrias

As geometrias

As artérias

As artérias

Prêmio 2008 - concedido por Varal de Idéias

Prêmio de novembro 2007

Prêmio de novembro 2007
concedido por Vi Leardi

Prêmio junho 2007

Prêmio  junho 2007

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"

Prêmio concedido por "Varal de Idéias"
junho 2007

Premiação de Primavera 2007

Premiação de Primavera 2007
Concedido por Varal de Idéias e le Jardin Éphémère

Presente de Vi Leardi 2007

Presente de Vi Leardi  2007

Olhares

free web counter